6 de maio de 2007

O Colibri e o Quero-Quero

O nome do Blog saiu de uma música do Jorge Drexler, "Dos Colores: Blanco y Negro". E assim como ele fala na canção, a primeira intenção era fazer um blog em cores, numa aquarela de idéias soltas, ciência-arte, análises, auto-análises, mas que no fim acabou em algo preto e branco, não menos interessante porém... Interessante é que em meio a tanta busca por influência, acabei caindo num texto de Erico Veríssimo que falava sobre a construção de personagens. Ele defendia com todas as forças que nenhum autor deveria preencher suas construções por completo, deveria se limitar a delinear seus contornos e deixar um pouco do prazer de construir a quem viesse a olhar a obra. Numa manifestação de genialidade, usou a analogia dos livros de colorir, aqueles infantis que vem somente com linhas simples que torna possível às crianças sentir o desenho e preencher de cores conforme sua preferência por elas (as cores), e, nesse caso, essa preferência seria o resultado da sensibilidade daquele desenho para aquela criança. Como nenhuma criança é igual a outra, um desenho simples em preto e branco se transforma em infinitos desenhos complexos multicoloridos. Essa idéia bateu em cheio com a mensagem da música do Drexler em que um beija-flor multicolorido parado no vento, durando no tempo, cede espaço a uma imagem totalmente em preto e branco, que dentro de nós ganha outras cores...

E de onde veio a intenção de fazer um blog de idéias soltas, ciência-arte, análises e auto-análises sejam elas coloridas ou não? Outra influência sempre foi a ciência e a quantidade de poesia escondida nela. A maioria das pessoas separa o trabalho na mão direita e o lúdico na esquerda, a maior parte do racional no hemisfério esquerdo do cérebro e o criativo no direito. Eu tenho lateralidade cruzada, em vários sentidos... Não consigo ler o Sick falar da ecologia comportamental de um Quero-quero sem pensar que a existência de uma ave que sai por aí voando e vocalizando um grunido forte parecido com "quero... quero... quero... quero..." tão insistentemente representa perfeitamente nossos anseios e vontades, incluindo a vontade de fazê-lo calar... Me tranquiliza ver que quem escreveu sobre Helmut Sick na contracapa de seu livro de ornitologia foi nada menos que Drummond de Andrade, como é bom ver esses dois nomes escritos um ao lado do outro! Significa que mais alguém viu cores de poesia no contorno preto e branco da ciência, ou o contrário, cores de ciência nas linhas poesia, ou melhor ainda: que não existe separação entre as duas coisas. A vida é suficientemente rica para que se aprenda com ela, difícil é saber para onde olhar ou para o que vale a pena permancer olhando. O anseio, o quero-quero de não parar de olhar para algumas imagens e das cores que elas me trouxeram foi a motivação para a construção dos textos, o formato em blog e o fato de ser público foi o escolhido porque permite que seja um livro de figuras para colorir, aberto a quem se interessar...

3 comentários:

Tamara disse...

Posso colorir aqui de vermelho? E amarelo? Posso?! :D

Beijão :****

Antonio Araújo Jr. disse...

Isso!! Tava faltando mesmo um pouco do seu vermelho! Experimenta pintar fora da linha, fica bem mais legal!!!!

Beijão!

Amanda disse...

Antonio, que bacana o sentido do nome do blog. Adorei. Você escreve muito bem, sabe falar dos sentimentos mesmo sendo um cientista. Isso é tão raro no nosso meio. Você deve saber. Amei a passagem:

"A vida é suficientemente rica para que se aprenda com ela, difícil é saber para onde olhar ou para o que vale a pena permancer olhando"

Bjs!