18 de setembro de 2007

Texto que não tem título porque não é texto

Se fosse texto, talvez não se chamasse. Não tivesse nome.
Algumas coisas são exigentes, cheias de mania de grandeza: querem ser vistas, sentidas, pensadas e escritas para novamente serem vistas por outras pessoas, sentidas, pensadas, faladas e assim por diante...
Outras são mais tímidas mas não menos exigentes, querem ser vistas, sentidas, abraçadas e só. Não fazem questão nenhuma de aparecer, nem de pular de uma cabeça à outra. Seria muito cruel da minha parte se eu as expusesse, assim, sem motivo.

Tenho, por compromisso, que respeitar a vontade de cada uma delas. Mas e aí... como eu fico? E meu orgulho, minha pose? "Isto é problema seu", elas diriam...
Isso não é um blefe! Ok, pode ser, não posso provar. Mas eu juro que esse texto, essa coisa que não quer ser escrita, representa uma parcela de um todo que é muito bonito. Essa coisa faz da alma leve e ri sozinha.

Um comentário:

Tamara disse...

E o que não quer ser dito fica suspenso. E se diz mesmo no silêncio.

Um beijo enorme, Antonio :***