5 de janeiro de 2008

Mais pra lá do Quiprocó

sinhá saudade
'ssá véia tarada
siagarrou-se ni mim
agora num larga

com ela o luto
virou labuta
virou coragem pra pelejar
dois pra lá, dois pra cá
dois pra ir, dois pra voltar
me assopra as feridas
e as perebas

com ela eu corro

corro corro
fecho os olhos
corro corro
abro os braços

corro mais um pouco

e me ultrapássaro...

3 comentários:

Janete Cardoso disse...

Tô adorando vir te ler!!!!
Seus poemas são muuuuito inteligentes!
beijos

Dinha disse...

Adorei esse... poxa, sai cada coisa daí de dentro, hein. O mais difícil é explicar o simples no fácil... E vc sempre consegue isso! :)
Bjo!

Tamara disse...

Tonho, tonho. Ocê nunca precisa exagerar, né moço! Esse cantinho sempre me dá uma saudade danada lá da roça.

Um cheiro :]