16 de outubro de 2008

quando o brilho do olho acende o brilho do resto

.


poema que é poema
ninguem lê até o final
verdade é, que
ainda no primeiro verso,
ou já o poema é outro
ou já quem lê é outro


porque meus olhos
ainda vão mudar o mundo
nem que seja só o meu

.

9 comentários:

Tata disse...

Muda muito o mundo de quem os escreve. Mudou o meu...
E de quem os lê. Adoro ler-te.

Leila Saads disse...

Nem a pessoa que escreve, quando lê novamente o poema, vê o que tinha visto antes...

Beijos!

Ps:. Uma amiga minha virou fã das suas palavras! Ela deve entrar em contato com você em breve - se já não entrou...
Beijos!

Lary disse...

Quando leio, me torno outra
e muda muito o meu mundo
fica mais bonito, mais colorido
como um vento que traz sempre uma nova sensação..

é sempre um prazer muito grande ler o que você escreve!

Beijos da Lary

Graziele disse...

Cada um lê com os olhos que têm! O poema é vários sempre!
Beijos.

Tata disse...

cadê mais versos do passarinho?

beijo!

GUILHERME PIÃO disse...

Gosto deste tipo de escrita pois há várias interpretações...
Abraços

Priscila Milanez disse...

"meus olhos ainda vão mudar o mundo"...Se pensarmos que o mundo se faz também de acordo com os olhares que lançamos sobre ele seríamos mais cuidadosos ao olha-lo e procuraríamos sempro novas perspectivas pra torna-lo mais aprazível, pra torna-lo cotidianamente "um outro mundo possível"...

Sobre tais olhares escrevi também um texto, se puder, passa lá:

http://mariafulor.blogspot.com/2008/10/era-um-exerccio-de-adaptao-contnua-ao.html

Soha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Soha disse...

A Clarice Lispector tem um poema que fala um pouco disso.... no texto, ela se refere ao que ela sente se transformando no que ela é, ao tentar se definir... Está no meu profile!

Seus olhos, sua visão já mudou muito o meu mundo...
E não é tarefa fácil, vc bem sabe!