6 de fevereiro de 2009

Coralina e sua Goiás

Ana assim tão avoada
talvez não ache rapaz
que lhe faça bem casada

-Da porta ouvia por trás-
engole o choro menina,
criança aqui não opina
nem desobedece aos pais

Ana boba, distraída
a lição deixou pra trás:
sabedoria vem da vida
e com a vida muito mais.
Mais aprende quem ensina
com sonho, com sua sina
mostrando como é que faz

Alma bela, emoldurada
de janelas e portais,
reverbera badaladas
((os sinos e os sinais)).
Poesia lamparina
clareando cada esquina
Villa Boa de Goyaz...

...que teu doce me nutre a alma
teu verso me decora o peito...

3 comentários:

Orieta Valentim disse...

Coisa marrrr linda!
Eu sou fã da Cora CoraLINDA e amo aquele Goiás Velho...tinha até uma boneca com o nome dela!

Priscila Milanez disse...

Lindo demais, rapaz!O texto tem graça, tem beleza, doçura e leveza, pra que mais?

rosario disse...

Alegria imensa descobrir o colibri.
Beijo grande Antônio.
Agora vou te seguir...
Que sensibilidade tem vc, que leveza... pura magia.. como Cora Coralina...