28 de fevereiro de 2010

seu azul, céu de azulejo

esse verso é fruto
de céu todo estrelado
brotou no chão do cerrado
num tronco cheinho de flor

me traz a lembrança
da noite enluarada
em que os meus olhos
encheram d'água
e refletiram seu luar

céu de cima parou
céu de baixo tremia
como quem dizia
"ai, meu deus, como
esperei esse dia"

6 comentários:

Priscila Milanez disse...

que bonito!

Sofia Fada disse...

adorei o poema e o blog
parabéns!
bjo

C. disse...

Já disse que adoro o seu jeito de escrever? rs.

:)

leila saads disse...

Linda música poemada!=*

Aline disse...

Lindo! E amei a nova cara do blog!

Andressa disse...

Despertar.