8 de outubro de 2010

24 memórias IV

às vezes falta rumo e sobra perna
jeito é andar

já andei, já corri, já tibunguei da bicicleta no chão
primeira vez fiquei todo arrebentado
voltei no lugar da queda e procurei marcas de mim no chão.
não vi nenhuma.
eu todo marcado de chão
o chão nem um pouco marcado de mim.

povo diz que a gente deixa pegadas por onde passa.
talvez nem seja.

vinte anos depois veio o verso:

por mais que eu ande,
que eu viva, que eu veja,
o chão é quem deixa pegadas em mim

tem verso que é escrito antes de a gente saber escrever



18 comentários:

Su disse...

lindo!

Neusa disse...

Aprecio por demais seus escritos.
Na dúvida de que caminho, sempre o uni-duni-tê...

Sílc disse...

Antonio quanta verdade nesse verso que nos arrebenta. Mas penso que só quando levamos um tombassso e tudo vai ao chão, 'nos' percebemos. Onde dói, onde olhar, qual a parte machucada etc e tal. E, só há uma maneira de prosseguir. Levantar e re-começar. Ficam as marcas, pegadas no chão. Mas penso que é melhor do que 'se' congelar e estagnar.
Beijos com carinho,
Sílvia

Kamalaksi disse...

muito bom!
Conheça o www.hierophant.com.br, quem sabe tu não queira deixar seus textos no labirinto de idéias.
Convite feito...
Meu nome é kamalaksi e meu e-mail mandala@papoulabrasil.com.br ,
faço parte da equipe Hierophant.
Um abraço
até mais.

karina rabinovitz disse...

poema lindo! muito!

Fernanda Deunizio disse...

o chão já virou companheiro.

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Antonio.

Estou aqui conhecendo o seu espaço e me encantando com os seus versos.

Que coisa linda! Parabéns! São perfeitos!

Sigo-te...
Beijos

Thiara Pagani disse...

Estava com saudade de ler seus escritos.

Gosto tanto disso:

"por mais que eu ande, que eu viva, que eu veja, o chão é quem deixa pegadas em mim"

Tamara disse...

Eu ainda posso ouvir o som das asas ruflando, desde a primeira vez que te li.

Daniela Valente disse...

Belissimo!

Cleice Souza disse...

Sumiu?


:(

Ruth disse...

excêntrico!

Jaya Magalhães disse...

Borandá, Antonio.

Cheguei aqui hoje através do twitter e não tenho nenhuma pressa em sair. Já puxei uma cadeira e estou a observar suas letras. As mais doces já engoli. É meu jeito de provar poesia, quando é bonita demais. Saio sentindo, levando, sorrindo. Borra é o coração todo!

Um abraço.

Fernanda Deunizio disse...

que lindo Antonio, tão cheio de vida!

um beijo, e um punhado de amor.

Talita disse...

Passando aqui porque um amigo meu, que tb é seu te divulgou no face!!! =)
Adoreeeei suas palavras!!! =)
Tem um som bom esse seu texto!!! E uma descoberta mto interessante!!!
Mto prazer!!! xD
Talita

Denise Zimmer. disse...

Lindíssimo isso!

Luciana disse...

Posso compartilhar (com o devido crédito)?

Karina Macedo disse...

Gostei.